O Sindicato Nacional de Gestores em C&T (SindGCT) mobilizou na manhã desta quarta-feira, 2, em Brasília, servidores e colaboradores da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) em um grande “abraço” à instituição. Entre as 11h e 12h houve concentração na área externa do prédio onde foi lido o Manifesto em Defesa da CAPES e do Sistema Nacional de Pós-Graduação. A movimentação teve como foco defender a recomposição orçamentária para 2020. 

Pelo Manifesto, o SindGCT demonstra preocupação com a previsão orçamentária para o próximo ano. Pelo Projeto de Lei Orçamentária Anual (PLOA 2020), a dotação prevista é de R$ 2,3 bilhões, o que representa uma redução de 45% relativamente aos R$ 4,2 bilhões de dotação na Lei Orçamentária Anual (LOA) de 2019, que já é pouco frente a um Sistema Nacional de Pós-Graduação (SNPG) que só faz crescer a cada ano.

O texto ressalta que o anúncio do Ministério da Educação (MEC) de que se tentará recompor, via Emendas Parlamentares, o orçamento da CAPES para R$ 3,05 não resolve o problema, pois se reduziriam, proporcionalmente ao orçamento de 2019, cerca de 22 mil bolsas.

Também participaram do “abraço” coordenadores de Programas de Pós-Graduação da Área Interdisciplinar que estão reunidos na CAPES durante toda a semana para participar do Seminário de Meio Termo, parte intermediária da Avaliação realizada pela CAPES a cada 4 anos.