Campanha Salarial de 2017


O Fórum de C&T elabora proposta de tabela salarial para ser discutida entre os órgãos da carreira. A tabela foi elaborada levando em conta as perdas inflacionárias incidentes sobre os salários dos servidores desde a atualização salarial de 2009. Os índices do IPCA mostram que as perdas acumuladas no período julho de 2009 a dezembro de 2012 chegaram a 22,46%. Estas perdas não foram compensadas, mas estabeleceu-se o acordo de 15,8%, em 3 parcelas de 5% de 2013 a 2015. Em dezembro de 2015 as perdas aumentaram para 32,48%. Outra vez, o governo se negou em conceder a compensação. Em vez disso, sobreveio o reajuste de 5,5% em agosto de 2016 e de 5% em janeiro de 2017. Finalmente, projetando uma inflação de 4% para corrente exercício, chega-se ao índice de 30,45% de acúmulo de perdas inflacionárias. Baseado nestas considerações, o Fórum de C&T decidiu manter a mesma tabela proposta na campanha de 2015, que considera a equiparação com a carreira do Banco Central. Isto tem todo o sentido, dado que a perda inflacionária neste momento é tecnicamente a mesma daquela oportunidade. Veja tabela abaixo:

Demais reivindicações:

  • Concurso público para recompor a força de trabalhos dos órgãos da Carreira de C&T;
  • Contra a reforma trabalhista e da previdência;
  • Contra a terceirização nas atividades fins;
  • Tratamento igualitário dos servidores de todos os níveis: superior, intermediário e auxiliar;
  • Busca da união entre as carreiras e os níveis dos servidores;
  • Incorporar a GDACT ao Vencimento Básico;
  • Criação dos níveis 2 e 3 da Gratificação de Qualificação (GQ) para o servidor de nível auxiliar;
  •  Equiparação de vencimentos às carreiras de atividades típicas de Estado;
  • Alinhamento dos mesmos percentuais para os níveis intermediário e auxiliar, para GQ1 (18%), GQ2 (35%) e GQ3 (70%).